Estilos de Design

Qual é o seu estilo de decoração?

Estilos de Decoração:

Para montar a decoração dos ambientes de sua casa, ou apartamento, normalmente você se baseia em que?
Provavelmente, procura visitar lojas do ramo, comprar revistas, pesquisar livros e matérias relacionadas ao ambiente e estilo que quer decorar. É na casa de amigos, restaurantes, lugares, onde sai buscando referências de decoração para montar o ambiente em questão com o seu estilo personalizado.
Mas, você sabe qual é o estilo que mais se adéqua à sua personalidade e conseqüentemente a da sua casa ou seu escritório? Quanto de importância a decoração influencia o comportamento, o conforto e as relações interpessoais dos usuários?
Decidir então montar uma matéria com alguns estilos e épocas importantes e marcantes da arquitetura de interiores, que influenciou e influencia ainda gerações e gerações de decoradores, arquitetos e amantes de design.
Estes são algumas classificações de estilos:
  •      Asiático
  •      Chic casual
  •    Clássico / Tradicional 
  •      Country/Rústico
  •      Egípcio
  •    Minimalista
  •    Moderna / Contemporâneo
  •    Retrô
  •    Romântico
  •    Tropical / Naltico

Asiático:     

Durante séculos, as culturas asiáticas viveram suas vidas cercado por simplicidade e elegância através do mobiliário e da arte. No interior da Ásia  os ambientes são projetados para trazer a paz, equilíbrio e serenidade para o usuário. A qualidade e o artesanato são primorosos, o estilo é fusão dos países ocidentais, dessa forma cria -se uma única decoração. O estilo asiático reúne o melhor da cultura e estilo de vida proveniente de países como a China e o Japão.
Elementos e formas de incorporar o estilo asiático na decoração da sua casa são:
O cenário é representado por jardins zens, paus de madeira, tigelas de arroz e saké tomado sentado no chão. A tradicional arte asiática é simples, mas graficamente visual forte, o que embora contradiga o estilo asiático que em geral, sempre muito delicado, permitindo criar espaços harmoniosos com destaque para os elementos em seda. As características chinesas são almofadas no chão, lanternas de papel, biombos e tapete tipo “tatami”. Geralmente, os elementos decorativos (mobiliário, tapetes, tratamentos de parede) são elaborados, já o tratamento de janela deve ser simples como cortinas ou persianas e tecidos translúcidos ou de bambu ou de madeira.

O uso de cores dramáticas, como por exemplo, para os chineses o preto e o vermelho é uma cor dominante, pois representa a boa sorte. Móveis de madeira é normalmente preto revestido com laca brilhante, o  preto é a cor dominante, pois pode e deve ser utilizado em conjunto com outros tons. Para a decoração em estilo japonês, tons naturais de castanho, cinzento são mais populares, o fundo de qualquer ambiente asiático, privilegia as cores neutras e mais naturais, com a existência mínima de objetos decorativos, com destaque na maioria dos cenários o uso do ouro.

O uso de texturas na decoração asiática vem do reflexo da natureza, como o cedro ou outras madeiras usadas de forma natural ou polidas com um brilho espelhado, a Acer (um tipo de arvore), o bambu, a pedra, o vime entrançado (Vime é um material oriundo de varas moles e flexíveis do vimeiro. É usado, trançado, com diversas utilidades, principalmente na confecção de móveis e cestos), o papel de arroz, a seda e os tecidos são exclusivamente naturais.

O uso da água e do verde é importantíssimo, pois a principal característica deste estilo é a influencia da natureza, por isso o som delicado da água caindo e o olhar calmo da água parada com peixes é destaque. Plantas naturais em vasos expressão a Ásia, já se estes vasos tiverem as bordas pintadas de vermelho ou dourado a influência vem da China e se espelharmos bonsai pela casa remete a cultura japonesa.
Chic casual:
É um estilo ultra confortável e muito à vontade, pode despertar memórias da casa da avó, das tias ou de uma casa de fim de semana. Este é um design perfeito para quem tem um estilo de vida acelerado, dias muito ocupados e até crianças, imperando assim uma casa funcional, que existe exclusivamente para o servir, com elevados padrões de conforto e com um feeling muito caseiro.

Em um ambiente chic casual tudo está agradavelmente gasto e enrodilhado e não faltam sofás, cadeiras e poltronas XL, muitas das quais cobertas com capas floridas ou estampadas.

A mobília raramente condiz, mas o seu aspecto – rústico e pintado com cores claras – acaba por ser encantador. As janelas são vestidas de forma despretensiosa, com recurso a varões de ferro, cortinas semitransparentes com os mais variados padrões.
As cores utilizadas são em sua maioria pastéis, suaves e delicados, para juntar com peças vintage (Na moda, essa é uma moda retrógrada, uma recuperação de estilos dos anos 20, 30, 40, 50 e 60) e surpreendentes. Um refúgio contemporâneo.

Classico e Tradicional
Em termos de decoração, a tradição ainda é o que gera e o estilo clássico que nunca saiu de moda. Marcada por linhas elegantes e ricas, a decoração clássica tem as suas origens na arquitetura grega e romana, onde a opulência e o requinte são os traços mais visíveis e mais apreciados. Requer espaços amplos e altos para poder receber mobiliário e peças decorativas igualmente vistosas, sendo estas o coração do estilo clássico.
Um dos elementos base deste estilo é a mobília em cerejeira, mogno, ou nogueira, entre outras, mas sempre sofisticados e em tonalidades escuras e dramáticas, além de serem imponentes em tamanho, estas peças se destacam ainda pela riqueza dos seus ornamentos e trabalhos variados. Todo o mobiliário se assemelha a exemplares de outros tempos, como por exemplo, moveis no estilo Luis XV tendo sido reproduzidos precisamente com esse objetivo. O Estilo Luis XV esta presente também no uso de molduras douradas em quadros e espelhos.
O mármore é também uma matéria-prima de eleição, nomeadamente nas cozinhas e casas de banho. As cozinhas clássicas são muitas vezes decoradas a branco total ou então em madeira. As casas de banho são vistas como verdadeiros espaços sociais, onde não falta nada – desde cadeiras ornamentadas, a apliques e até papel de parede. Nos dormitórios é comum a presença de camas com quatro colunas, embelezadas ou não com um dossel pomposo ou mosquiteiros esvoaçantes que confere um toque dramático, que é próprio deste tipo de decoração.
A palheta de cores é composta essencialmente por preto, Bordeaux, azul-marinho e verde-esmeralda, que podem e devem ser combinados com elementos dourados, prateados, cor de ferrugem e cor-de-rosa bebê que são encontrados nos detalhes em tecidos de estampa florais e listrados, em cortinas longas e majestosas presas em varões banhados. Para uma sofisticação mais clean, o estilo clássico funciona igualmente bem com branco, creme, cru, bege e diferentes tonalidades de castanho que estão presente em paredes e grande extensão de tecido.
As paredes em formas de arcos e a simetria na distribuição do espaço são outro ponto forte que marca os ambientes de estilo Clássico. E não podemos esquecer de mencionar apliques rebuscados feitos com gesso que própria arquitetura do espaço é fundamental, com tetos, rodapés e paredes trabalhadas, ostentando ornamentações sublimes.
Os tapetes também têm um destaque especial dentro deste estilo decorativo, sendo sempre espessos e convidativos, muitas vezes cobertos de padrões clássicos e várias cores.
Se não estiverem forradas com um papeis de paredes luxuosos e padronizado, as paredes clássicas requerem obras de arte antigas, onde dominam os estilos retrato ou vida morta, em tela ou impressa em litografia. Também é habitual ver bonitas tapeçarias a adornar, com pompa e circunstância, as paredes.
Em termos de peças decorativas, o destaque vai, sem dúvida, para cristais, porcelanas, prata, latão, candelabros, bustos, livros, espelhos e molduras ornamentadas, lustres, arranjos florais, candeeiros de parede e com abajur em seda… Muitas vezes, os mesmos objetos são utilizados em duplicado para conseguir uma simetria harmoniosa e o toque de requinte que é a decoração tradicionalmente clássica.
Rustico ou Country
O estilo Rústico ou Country está associado as antigas casas de campo, a vida rural, quando se vivia de maneira simples e que o aconchego do lar era a principal característica. Os moveis sempre feito de madeira gastos pela marca do tempo também fazem parte da decoração do ambiente, isto não significa que os moveis precisão estar detonados, feios, mais sim antigos e elegantes.

Outra característica é a busca pelo natural, o mobiliário não precisa passar por acabamento fino, tudo é deixado o mais grosso, natural e rústico possível.
As camas são normalmente pequenas e estreitas mas, em contrapartida, os guarda-roupas, cômodas, baús e mesas são de dimensões maiores e  os sofás então, sempre tão imponentes, confortáveis e cobertos de almofadas e mantas e colchas de retalhos tipo patchwork, bastante comum também é a presença de cadeiras de balanço e em verga.

Porem grande parte do charme rústico está na idéia da mistura da madeira, do ferro e de pedras nas peças decorativas muito distintas cheias de personalidades, pois são repassadas entre gerações, tendo cada uma sua própria história. Os elementos característicos mais usados nessa decoração são os cestos de vime e palha, colheres de pau, cerâmicas, latas decirativas entre outras peças artesanais, feitas à mão.
As paredes podem aparecer de várias maneiras, feitas em tijolos, pedras, revestidas de madeira, tintas em tons claros ou ate mesmo papel de parede. Nelas podem ser pendurados espelhos com moldura antiga, quatros de paisagens, retratos envelhecidos, ferraduras, mural com exposição de armas e iluminação em forma de arandelas ou candelabros.

Egípcio:

Exótico e original, o estilo egípcio vai obviamente buscar inspiração em uma das civilizações mais antigas e mais desenvolvidas da história da humanidade, pois é considerado o berço das civilizações. Eles viviam para viver a eternidade e acreditavam profundamente na imortalidade da alma. Por essa razão a arte egípcia é uma arte voltada inteiramente para os sentimentos entre a morte e eternidade. O Egito está localizado em uma região desértica, porem banhado pelo rio Nilo que retrata a fertilidade, mas também dirigida por padrões rigorosos e uma religião forte.

Através do contesto desta historia o estilo Egípcio se tornou majestoso e real, a grandiosidade de um visual como este estilo é garantida, não só pelos objetos e relíquias primitivas, mas também pelo uso predominante das cores, como o preto e dourado. Os tons pálidos podem ser aplicados no “pano de fundo”, preferencialmente.
Os materiais quase sempre são na pele preta, grés e mármore. Mas para se ter um ambiente com um filin egípcio o principal são os elementos decorativos como estatuas,máscaras de seres místicos, múmias, deuses, bustos e vasos imponentes. Cuidado com o exagero lembre-se da simetria e mantenha tudo elegante e equilibrado, nem de mais, nem de menos. Confie em sua intuição e bom gosto, em caso de duvidas consulte um profissional.
Minimalista
Diz-se que o estilo minimalista teria surgido no período difícil pós-Segunda Guerra Mundial, altura em que muitas pessoas perderam tudo ou quase tudo e tiveram de aprender a viver com menos. O estilo minimalista é isso mesmo – ambientes cuidadosamente decorados para conter apenas o essencial, aliando a estética à funcionalidade, sendo que a segunda é mais importante do que a primeira. Há quem diga que o minimalismo é, acima de tudo, um lifestyle e, por isso mesmo, pode ser aplicado a qualquer estilo de decoração.

Não se sabe, ao certo quando e de onde veio o minimalismo, só podemos afirmar que se tornou “popular” e conhecido no ano de 1913, quando um artista plástico russo – Kasimir Malevith levou ao publico um quadro todo preto com um quadrado branco no centro. Naquela época causou polêmica e também admiração, pois se tratava de algo novo. A partir dai surgiu o movimento artístico que veio a ser muito usado na decoração de interiores, a partir da década de 80, no Brasil.
O minimalismo possui uma expressão própria e singular que nos permite sentir com clareza o espaço que queremos ocupar e sua real função, de forma verdadeira e simples. Para a decoração de interiores o estilo minimalista é bem interessante, com o uso de poucos móveis, poucas peças ou às vezes, até nenhuma e sempre a escolha e superfícies lisas e polidas. Esse estilo é marcado por valorizar a qualidade, em detrimento da quantidade, como disse o arquiteto e designer Mies Van der Rohe (1886/1969- Escola de Bauhaus) – “Menos é mais”. E os elementos chaves devem ser vistosos e de elevado bom gosto.

Os ambientes onde mais se aplica o movimento são as salas de estar, de TV, livings, halls, corredores e no paisagismo. Os outros ficam mais complicados de aceitar essa proposta, devido ao uso frequente de ferramentas essenciais para o trabalho e acessórios pessoais ou “hobby”. Mesmo assim, já vemos algumas pessoas aplicando o minimalismo em quartos, escritórios, cozinha e banheiros.
A decoração minimalista diferentemente do que aparenta não é fácil de ser executado, é preciso saber quais peças se destacarão e quais não são de suma importância, e ainda é preciso ter sensibilidade para equilibrar elementos, formas e cores. O uso de excelentes móveis, quadros e acessórios de muito bom gosto (muitas vezes com design assinado), devem causar ótima impressão por serem poucos e importantes. Alguns dizem que é uma forma fria de decorar, devido ao uso de cores como o branco e o preto, o cinzento e alguns tonsneutros (castanho, azul, verde). Quanto mais claro melhor, porque permite jogos de luz que engrandecem o espaço. Se o próprio minimalismo é, em si, dramático, não necessita de adicionar cores muito vibrantes à decoração, as outras cores se usadas devem estar só nos detalhes.
Depois de simplificar seu ambiente, pare um momento, olhe e desfrute do que acabou de criar. Não há nada com tanta delicadeza e sofisticação em uma casa minimalista.
Os amantes da decoração minimalista vêem nas suas casas um oásis de tranquilidade, um verdadeiro refúgio do caos e confusão que marcam o mundo lá fora. A primeira regra de ouro no que toca ao estilo minimalista é a organização: tudo tem de ter o seu lugar e quando não estiver a ser utilizado, deve estar guardado, de preferência longe da vista. Outras características são a difusão de luz natural, os usos de linhas estreitas e simples dominam o ambiente minimalista. As janelas são lisas e sem peitoris, os rodatetos e rodapés são planos, o chão é preferencialmente revestido num material sem quebras e completamente polido; o mesmo se diz dos armários da cozinha, laqueados e com um efeito glossy.
Moderna / Contemporâneo:
Contemporâneo e moderno são estilos que refletem as tendências que surgiram a partir da segunda metade do século XX, até a atualidade. Os espaços são caracterizados por ambientes simples, diretos e muito clean, não tão despido como o estilo minimalista, mas igualmente sereno, bonito e funcional.
Os dois estilos estudados em questão, por mais parecidos que sejam eles possuem algumas diferenças:

 - O estilo moderno baseia-se em materiais novos e tecnologicamente avançados (aço escovado, ferro crómio, fibra de vidro, plástico, entre outros); recorre a formas geométricas e mobília minimalista, orgânica e até futurista; as cores das paredes são normalmente claras e os tetos brancos; privilegia a forma e a impressão artística em detrimento da funcionalidade, relegando também as texturas para segundo plano.
 - Já o estilo contemporâneo, por sua vez, utiliza muita cor e textura, arte e elementos neutros, embora as suas linhas sejam ainda mais suaves do que aquelas que caracterizam o estilo moderno; a praticabilidade está lado a lado com um bom design.
A inspiração do presente e do futuro, a funcionalidade e um design exímio têm de estar de mãos dadas num estilo contemporâneo – de que serve a beleza, se não podemos usufruir dela.
O mobiliário é marcado por silhuetas angulares e traços simples, geralmente é larga, espaçosa, muitas vezes baixa rente ao chão e sempre superfícies completamente lisas. Os materiais usados são vidros laqueados ou não, pedras polidas, cimento, metal, aço inox ou escovado e madeiras claras e escuras.

A estrutura forte da mobília pode e deve ser suavizada com recurso a tapetes suaves, estofos confortáveis e tecidos convidativos.
Alguns dos tecidos que normalmente se identificam com o estilo contemporâneo são o cabedal, alcântara, vinil, corda, bouclé, flanela, lã, algodão, linho, seda, caxemira e juta. Geralmente utiliza muitas formas geométricas, tanto nos elementos decorativos ou em estampas. Um padrão vistoso ou subtil pode funcionar como o elemento diferenciador num ambiente moderno, uma vez que os lisos são uma forte característica deste estilo.
Caso você opta pelo uso de cortinas, escolha sempre os tecidos leves e esvoaçantes ou as famosas persianas. Como a luminosidade é um fator chave deste estilo, há quem deixe as janelas completamente despidas.
No chão prefira um soalho em madeira, ladrilho ou pedra polida. Os tapetes devem ser lisos ou então estampados com formas geométricas vistosas.
As cores usadas resumem nas cores neutras e tons rompidos, onde se destacam o preto, branco, cinza, azul-acinzentado, bege, creme e castanho. Não descartando a aplicação de cores mais fortes como, verde, amarelo, laranja, vermelho, majenta e berinjela. No entanto, as paredes são normalmente claras e em alguns ambientes pode optar por uma parede de cor diferente ou o uso do papel de parede. O teto, por norma sempre é pintado de branco e rebaixado, uma excelente opção para quem quer criar uma decoração contemporânea.
O uso de plantas e flores deve ser reservado a espécies grandes, vistosas e despretensiosas, exibidas em vasos lisos e modernos, com pedras ou raspas de madeira para cobrir a terra.
Dica: Para evitar espaços demasiado austeros, combinam-se peças arredondadas com peças mais retas, conjuga-se mobiliário alto e baixo, utilizam-se texturas, alguns padrões e cores chave para criar um ambiente luxuoso e confortável.
Romântico:

Um estilo romântico não significa uma decoração exclusivamente feminina, mas sim a criação de ambientes íntimos e serenos que nos parecem transportar para outros tempos, marcados por uma elegância sublime, mas agora com um toque de conforto irresistível.

Em termos de mobiliário, o estilo romântico é marcado por traços curvilíneos, pés arredondados e peças trabalhadas, com alguns detalhes vistosos. As mesas redondas, ovais e as camilhas (Cama pequena ou encosto, para nele se dormir a sentar ou descansar)são presença assídua, assim como os bancos estofados, colocados aos pés das camas e das poltronas.
O mobiliário mais utilizado para criar espaços românticos é o de ferro, madeira clara e escura, mas também as peças de mobília pintadas de branco, bege ou azul claro, por exemplo.

Como a decoração é, acima de tudo, um gosto pessoal e, de preferência funcional, a organização e disposição de um espaço romântico tanto pode ser casual e descontraído, com objetos pousados quase que aleatoriamente; como mais formal e simétrico, onde tudo tem o seu lugar. É uma questão de gostos e de estética visual.
A palheta de cores normalmente associada ao estilo romântico é invariavelmente suave e de baixa intensidade: branco, tons neutros e pastéis são as cores de eleição para quem pretende romantizar qualquer espaço. No entanto, como a paleta base é tão neutra, podem adicionar-se alguns pontos de cor mais fortes – amarelo, azul, encarnado, verde, lilás ou fúcsia (é nome popular de uma planta, o mesmo que brinco-de-princesa), sem perder o romantismo.
Motivos listados, axadrezados, florais, adamascados e de inspiração vitoriana são aqueles mais associados ao estilo romântico e podem ser aplicados a tudo, desde lençóis de cama, a papel de parede, cortinados e sofás. No entanto, a decoração com padrões exige sempre um certo grau de peso e medida.
Um espaço romântico requer tecidos que são um mimo para tocar e bonitos de se apreciarem: seda, cetim, chenilha, veludo e acolchoados são uma boa opção porque a qualidade das suas texturas contribui para a própria decoração. As rendas, folhas, laços, tricô e croché completem o cenário. Não é raro as camas estarem equipadas com saias e repletas de almofadas confortáveis e mantas aos seus pés.
Embora os tapetes não sejam um dos elementos-chave da decoração romântica, sendo discretos e ao mesmo tempo suntuosos, ou seja, devem contribuir para que cada ambiente romântico se torne ainda mais aconchegante, sem o dominar por completo. Privilegiar um chão simples revestido em madeira ou noutro material subtil.
Nas salas de estar e de jantar, as cadeiras e poltronas são sempre elegantes e quase sempre estofadas ou então equipadas com uma almofada condizente. Os sofás são confortáveis e ladeados por mantas e almofadas aconchegantes, de preferência de frente para uma lareira. As capas também são uma boa opção, ora para os sofás, ora para as poltronas ou cadeiras.
Num quarto romântico, a cama é sempre rainha do romance, com destaque para estruturas em ferro ou então para camas de madeira imponentes com quatro colunas e/ou cabeceiras luxuosamente forradas com tecidos elegantes. O que não pode mesmo faltar neste ambiente, é um dossel, tule ou cortina suspensa sobre a cama ou a funcionar simplesmente como adereço decorativo. Os tradicionais guarda-roupas são outra peça chave.
Para um toque especial, crie um espaço no quarto para colocar uma penteadeira com espelho, uma poltrona sofisticada, alguns frascos de perfume e um conjunto de escova, pente e espelho de mão em prata?
O perfil de uma casa de banho romântica passa quase sempre pelo branco, com uma banheira com pés, um toucador, uma poltrona e bonitos quadros a decorar as paredes.
Num ambiente soft e tranquilo como este, um toque subtil de brilho fica sempre bem: os apontamentos em vidro, cristal, dourado, prateado, bronze, ferro e metal também fazem parte da decoração romântica. Alguns exemplos de objectos decorativos para um espaço romântico podem passar por: castiçais,  caixas em tecido, arcas e baús em pele ou madeira, malas antigas, arranjos florais, bolas penduradas de puxadores de portas e gavetas, espelhos ornamentados, obras de arte com motivos de flores e de inspiração vitorian.
Tropical / Náutico:
O estilo de decoração interior tropical invoca a tranquilidade das ilhas paradisíacas, é uma maneira incrível de recrear a atmosfera morna e vibrante da praia em seu próprio espaço, isto é, o exterior é levado para dentro de casa. Tudo é projetado e inspirado no conforto e na natureza tropical, com cores fortes – em vermelho, em amarelo e laranja, ficando o branco, o verde e o azul em segundo plano, não esquecidos, apenas subtil – e os elementos naturais – plantas ou palmeiras, esculturas em madeira, elementos em pedra ou bambu e, claro, água: um aquário ou então vasos enormes com flores tropicais. A decoração também passa pelas janelas com lindas flores penduradas e tecidos leves e esvoaçantes.
A mobília para um tema tropical consiste em grandes e partes estofadas confortáveis. Para as partes do acento use o vine (o vime é um tipo da técnica do edifício da mobília onde as costas da grama ou das videiras são tecidas juntas), o bambu, o ferro, e o rattan. Os moveis podem ser feitos em madeira escura ou em fibras naturais como plâncton vegetal, do hyacinth de água, e da folha de banana. Estes materiais criam a mobília resiatente e de pouco peso.

Além disso, as características tropicais da mobília incluem motivos, tais como abacaxis, folhas de palmeira, árvores, e flores para aquela efeito tropical adicional.
Para o revestimento no chão prefira madeiras claras, mas se preferir usar madeiras escuras abuse em tapetes feitos de fibras naturais como o sisal por exemplo. Esses revestimentos nos convidam a andar de pés descalços e nos ajudam a manter o olhar tropical vivo.
A diferença do estilo Tropical para o Náutico é pequena. O estilo Náutico é mais reservado e elegante, o estilo náutico também se baseia na vida ao ar livre, mais precisamente a vida marítima. Com o seu triângulo colorido de azul, branco e vermelho a dominar todas as viagens decorativas, fica ainda melhor quando se juntam elementos com cordas, pedras, conchas, réplicas de barcos, redes, remos e âncoras.

O olhar tropical/náutico fornece definitivamente um escape de relaxamento onde você possa confortavelmente recuar após um dia duro longo no trabalho. Seu repouso é uma reflexão de sua personalidade e deve ser um lugar onde você sinta um sentido da tranquilidade.
About these ads

~ por debarry em 08/02/2012.

4 Respostas to “Estilos de Design”

  1. É a decoração composta pelas novidades do mercado, produtos atuais, diferentes e que possuem muita personalidade. É o que chamamos normalmente de um ambiente moderno. Muitas vezes com cores claras e neutras misturadas à diferentes tons de cores da moda, com a possibilidade de uso de materiais diversos, é um ambiente muito clean e sofisticado.

    • Obrigado pelo comentário, sim concordo com você sobre os ambientes, tudo de vovo e moderno se espelham em nossas vidas, e a modernidade tem tudo a ver com nossas vidas.

  2. Assim como todo cômodo de uma casa, uma cozinha pode ter variados tipos, variando tamanhos, estilos, cores, formatos, móveis, etc. Podem possuir estilos diferenciados ajudando na escolha da decoração, como a moderna ou rústica. Podem ter influências dos estilos internacionais como a cozinha americana, francesa, japonesa, italiana, entre outras. E é claro que podem ser pequenas ou grandes, sendo assim, tudo interfere no modo de decorar.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: